As Facetas da Visibilidade e Representatividade Lésbica no Entretenimento

Bandeira do Movimento

Como introduzido pelo último blog , do moderador #Skar, o último dia 29 foi o Dia da Visibilidade Lésbica. Assim como todos os outros grupos inseridos na sigla LGBTQ+, sofre com o apagamento e a segregação social, agressivo e degradante por diversos casos. Por mais que haja avanços consideráveis do movimento, a população lésbica ainda é vítima da padronização e da ignorância. E um grande ponto de influência é como a arte e o entretenimento a aborda. 

Previamente, ressaltar as diferenças entre visibilidade e representatividade é inevitável e essencial. A visibilidade insere certo grupo, no caso, o traz aos meios, seja em séries, novelas e livros, por exemplo. Independe da forma como é abordado, a questão é tornar o grupo visível e existente, presente. A representatividade caminha mais profundamente na questão. Um grupo inserido nos meios, "visível" no cenário do entretenimento, não necessariamente é apresentado de maneira fiel à realidade. Os indivíduos do grupo não se sentem representados nesse caso.

Tendo isso em mente, a situação se torna mais densa e complexa. A arte e o entretenimento, para muitos, é um espelho do social. Quando uma mulher lésbica, é representada de maneira "X" em muitas obras, o público - parte dele, não vamos generalizar - associa que essa é uma regra geral, inerte ao grupo. Daí os "clichês", imagens que se repetem, tornando o personagem genérico, superficial. O indivíduo no real - e nas boas e bem construídas ficções - é composto por diversas facetas, elementos que compõem sua persona e o tornam único, como um quebra-cabeça vivo.  

Assim chega-se no primeiro esteriótipo, o de que toda mulher homossexual é masculinizada. Fruto da cultura hétero normativa - que trata a sexualidade hétero como o "padrão" -, a insistência do conceito da lésbica com elementos "masculinos" é apresentada como uma forma de perpetuar o ideal de que uma relação é composta apenas por masculino + feminino. Obviamente existem mulheres homossexuais assim, mas a generalização transforma a sexualidade de um indivíduo no ponto central e definitivo da sua personalidade.

Outro ponto que é recorrente na abordagem de mulheres gays na ficção é a sexualização. Essa é sempre focada e moldada por uma visão masculina do que seria um relacionamento entre duas figuras femininas. As camadas da relação são nulas, tornando-a sujeita e refém da fetichização.  

A visibilidade é o primeiro passo para a integração, mas apenas ela não dá conta da inserção. Uma visibilidade grosseira e nada representativa é até nociva aos avanços sociais, distorcendo e estereotipando o grupo perante o resto da sociedade. Para qualquer indivíduo, sentir-se propriamente representado, ouvido e visto é um desejo e necessidade inerte.   

Para você, leitor, que se interessou pelo assunto abordado nesse post, deixarei dois vídeos - curtinhos, não tem nem desculpa para não ver - e um infográfico da Mundo Estranho. 

#Punk




As Facetas da Visibilidade e Representatividade Lésbica no Entretenimento As Facetas da Visibilidade e Representatividade Lésbica no Entretenimento Reviewed by Luana Garcia on agosto 30, 2017 Rating: 5

Tag: 50 tons de livros!

Tag 50 tons de livros Olá :3, estou escrevendo hoje para postar a tag 50 tons de livros, criada pela Michelle do blog  Garota Agri...

Tecnologia do Blogger.